domingo, 28 de junho de 2015

Entre um vinho barato e a solidão



O espaço entre as cortinas faz o vento passar de mansinho
enquanto meus olhos úmidos desistem de chorar.
No chão enquanto durmo o tempo passa usurpando minha jovialidade
o sol encosta em meu rosto acordo de súbito e penso: "estou sucumbindo aos poucos".
Os meus desencontros foram maiores
sabendo que ontem envelheci no futuro
imagino a criança que eu fui distante deste inferno
já fui único hoje tenho me multiplicado aos montes para tentar me ajustar a esse lado escroto do mundo que nos decepa as virtudes.
já acreditei em muitas coisas, mas hoje amar a deus é tão clichê quanto xavecar uma puta para tentar transar.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

O sentido para a vida



O sentido para a vida pode está em uma trilha, uma caminhada de dez metros, uma jornada pedalando, uma temporada no meio deserto.

O sentido para a vida é um desafio tão extremo que poucos se lançam em busca. Mas eu consigo caminhar. Até onde não sei.

Superar e resistir até o fim, colocar o espírito na mais alta montanha perdida entre milhares numa selva montanhesca.

O sentido para a vida depois de nunca a ter encontrado pode está na dor tamanha de caminhar sem parar, na incansável insistência de pedalar, na loucura iluminada de escalar até o topo uma montanha.

O sentido para vida é o sapato que leva seus pés machucados pelas trilhas, é a sede no meio do caminho e a fome que não para,

O sentido para a vida são os pensamentos brotando a noite enquanto dorme em baixo de um céu carregado de estrelas ou a música que sai da memória enquanto avança.

O sentido para vida é o seio da mãe natureza abraçando e ensinando de todas as formas como andar no labirinto, como se equilibrar, como se segurar ao ultimo estalo de sobrevivência.

O sentido para a vida pode nunca ser encontrado ou talvez o sentido para vida seja simplesmente todos os caminhos de quem busca algum sentido.

O melhor caminho é sempre aquele em que o espírito está a frente.