sábado, 30 de agosto de 2014

Meus demônios


Foi quando acordei e de repente estava a saltar obstáculos recém construídos. A vida fragmentada em partes flutuando no liquido escurecido e sombriamente deslocado no tempo-espaço. Sou eu enlouquecendo.  

O tempo em mim soluçando os contratempos e uma angustia favorecendo a embriaguez. O mundo ainda gira, meu mundo girando e as coisas seguem ficando fora do lugar e os meus pensamentos seguem minando de algum lugar além de uma realidade sistemática e sintomática ao mesmo tempo.

Aquela velha dor retornando, agora mais intensa, como se eu estivesse andando em círculos parando sempre no mesmo lugar. uma repetição sem fim e um pedaço de terra me prende, indiferente aos olhos dos outros, colecionando dores e dúvidas ainda assim me tenho e julgo-me capaz de chacoalhar um pouco mais meus demônios, espreme-los e vê-los sangrar.      


Um comentário: