domingo, 9 de março de 2014

O sentido das coisas


Tudo é uma farsa nojenta, mas uma hora a mascara cai e sedento ficara o chão onde pisas. O céu é o maior espaço que temos e mesmo assim ainda o manipulamos para aumentar as vantagens dos nossos pulos sobre a maioria. Não é ser livre é ser indecente. Toda essa camuflagem por de traz da real loucura do mundo aqui e agora, o mundo futuro que anda para traz, cada dia mais me convenço que o futuro é para traz e toda essa loucura não me convence mais.

As pessoas enlouqueceram geral, movidas pelo poder de compra que se agiganta sobre o mundo, esquecem de olhar para adiante com mais naturalidade e simplicidade, esquecem de conduzir os menores da maneira correta, de maneira a alcançar os reais caminhos para desenvolvimento intelectual natural do ser. Se não é para ser você que não seja fielmente aos seus parâmetros morais. Nada deve burlar aquilo que temos dentro da gente, nada deve nós corromper.

A vida, o mundo total parece um jogo, na verdade um programa de computador no qual somos bonecos manipuláveis . cada vez mais “matrix” faz mais sentido, parece que todos estão em transe profundo, os donos do jogo por saber os atalhos jogam confortavelmente, estão em qualquer lugar e dominam aqueles que se sobressaem. Os donos do jogos caminham livremente por ai, enquanto a maioria vive como se nada ocorresse diante dos seus olhos. “O mundo como representação” , o ser humano como fantoche bonachão de uma animação cômica chefiada pelo sistema.

Tudo não passa de uma farsa nojenta e dolorosa, tudo não passa de uma gargalhada profunda. Você vai e volta nessa vida cruel e não entende o sentido das coisas, se elas não quisessem ser entendidas não estariam ali, mas elas estão ali, por que estão ali? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário