domingo, 23 de dezembro de 2012

O jovem viajante





Certa vez em uma cidadezinha provinciana um jovem viajante passando admirou-se com os grandes templos religiosos que ainda haviam por lá. Ao passar por um que estava aberto a celebrar uma missa entrou e sentou no último banco permanecendo até o fim. Quando a missa terminou todos saíram, mas ele ainda permaneceu algumas horas olhando para a estrutura do templo, onde na parte superior haviam desenhos antigos e góticos, então ao levantar o padre que celebrara a missa o abordou:

- Você não é das redondezas meu jovem?

- Não.

- De onde você é?

- Sou do mundo.

- Percebi você entrando no recorrer da missa e ficar até o presente momento, vejo que gostou da igreja.

- É, é uma estrutura muito antiga, porém muito bela. Os desenhos góticos na parte superior, as portas e janelas nos lembram a idade média. Não sabia que ainda existiam estruturas como essas nos dias de hoje.

- Os desenhos são inspirados no modelo bizantino, por isso o ar de idade média. Com relação a sua admiração por ainda existirem templos como estes, fique você sabendo meu jovem que esses templos nunca deixarão de existirem, eles são as casas de deus. Espero que tenha gostado da palavra também, pode vir mais vezes se quiser, é confortante.

- Não, não, estou só de passagem avistei o templo aberto resolvi olhar como é essa terapia milenar de tranquilizar as pessoas com ilusões. É bem engraçada a forma como as pessoas acreditam.

O jovem então saiu e continuou seu caminho pelo mundo. Ele ficou surpreso em ainda existir templos como aqueles e mais surpreso ainda com a quantidade de pessoas que buscam essa terapia.  


                                                            São Vicente, dezembro de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário