terça-feira, 24 de julho de 2012

A educação de hoje é um nojo


As universidades viraram recanto de mentes ocas. As pessoas não sabem o que querem, não tem nenhuma afeição pelo saber é apenas o diploma e a vontade escancarada de aparecer que determina o ingresso dessas cabeças atormentas pelo vício da banalização nas universidades.

Há dois séculos existia certa vontade de conhecimento que ultrapassava a ganância do capitalismo e a vaidade sexual. Essa vontade simplesmente morreu com o avanço da tecnologia, o aceleramento do aprendizado, a péssima qualidade de ensino e muito mais pela necessidade do consumo implantado pela sociedade pós-moderna. Tornaram os jovens de toda parte inconsequentes, irresponsáveis, desinteressados e destruidores do saber. 

Na verdade deixamos de ser aquela raça afoita pelo querer responder a tudo, hoje não se encontra um filosofo de respeito se que em formação, não se encontra um universitário com seriedade na face, eles não levam nada a serio, a tecnologia e a facilidade que as maquinas proporcionam deixaram-nos burros, totalmente dementes. Deixamos o habito de querer aprender morrer com a geração passada e então passamos a acelerar o processo de formação, diminuindo o conhecimento, sem contar que os educadores de hoje é uma vergonha, eles titubeiam, querem a todo custo se passarem por mestre de primeira grandeza, mas não passam de afundadores do saber, não passam de coveiros de uma educação em estado de decomposição, são abutres dessa carniça de ensino que se prolifera por toda parte. 

E esse círculo vicioso é infinito. Educadores de péssima qualidade levam a um ensino decadente que formam universitários deploráveis e consequentemente profissionais enojáveis.


Nenhum comentário:

Postar um comentário