quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Homo religiosus



E quanto aos profetas que sussurram: “isso é certo, esse é o caminho, siga-o”. Pobre daquele que ouve um profeta falar e aplaude, pois ele é um mouco equivocado. Todo profeta tem o lado pratico de enganar e fazer cair os louvores em sua graça. Pergunto-me: “até quando essa história vai continuar corrompendo as pessoas, será que só 27 ou 30% do racional e da visão de todos os seres humanos é que funcionam. Será que já não basta provar que é a terra que gira ao redor do sol, como o cristianismo é insistente, como os religiosos são insistentes em uma ideia anêmica.

Essas raízes vigorosas do sistema de seitas que prende as mentes fracas e destrói toda razão, toda forma de entendimento lógico das coisas, toda visão purificada, reverte o ser natural, animal, parte da natureza para uma espécie desconhecida de otimistas retrógrados e sonhadores insanos capazes de querer o que não lhes cabes, essa espécie de homo religiosus que impregna qualquer ambiente com a forma jocosa de adoração só leva ao parasitismo e a doença moral, a sociedade está doente, moralmente doente e rejeitando remédio. Para o ser humano só resta encostar a cabeça em seus travesseiros de tormentos.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Perguntas de um Operário Letrado




Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilónia, tantas vezes destruida,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
No dia em que ficou pronta a Muralha da China para onde
Foram os seus pedreiros? A grande Roma
Está cheia de arcos de triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem
Triunfaram os Césares? A tão cantada Bizâncio
Sò tinha palácios
Para os seus habitantes? Até a legendária Atlântida
Na noite em que o mar a engoliu
Viu afogados gritar por seus escravos.

O jovem Alexandre conquistou as Indias
Sózinho?
César venceu os gauleses.
Nem sequer tinha um cozinheiro ao seu serviço?
Quando a sua armada se afundou Filipe de Espanha
Chorou. E ninguém mais?
Frederico II ganhou a guerra dos sete anos
Quem mais a ganhou?

Em cada página uma vitòria.
Quem cozinhava os festins?
Em cada década um grande homem.
Quem pagava as despesas?

Tantas histórias
Quantas perguntas

                                           Bertold Brecht

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Do livro AS PALAVRAS DE SARAMAGO

"Penso que para se ser um ateu coerente faz falta um alto grau de religiosidade. O ateísmo não é incompatível com uma postura religiosa. Nem se trata de substituir Deus pela humanidade. É mais um sentimento de uma grandeza imensa que tem a ver com o Universo. E isto é suficiente, por que ainda que eu não coloque Deus nesse Universo, a minha posição é o que chamamos de transcedente, uma palavra que se costuma ultilizar pensando em Deus e que eu utilizo noutra direção. O que me transcede é a matéria, a terra, toda ela, com os seus mares e as suas multidões. E a minha religiosidade começa, se você preferir, na relação que tenho com o meu país."

José Saramago