quarta-feira, 6 de julho de 2011

Burburinho do silêncio




Que todos gritem com o fervor da vida
Que todos zombem;
Pulem;
Vibrem;
Aplaudam;
Que todos marchem até o esplendor
Nos trilhos que levam a lugar nenhum.
Alguns choram outros dançam;
Muitos falam outros mentem;
Poucos voltam à multidão permanece
No gozo da vida sem vida.
Um estalo;
Um estouro;
Um grito;
Uma gargalhada.
Ouço apenas o silêncio. Mais nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário