quarta-feira, 9 de junho de 2010

A natureza como força de equilíbrio




O planeta e o futuro em contradição com as leis que regem a natureza em torno do universo terrestre. Com o homem sendo um inteligente capitalista fora da moral que nunca existiu e asno ecologicamente o mundo estoura sob seus concretos e ferraduras, a natureza entra em depressão e mostra que o desrespeito para com ela custa caro, assustadoramente caro. Custa caro ler um livro, um jornal, custa caro tomar um refrigerante quase tudo na vida custa caro e o barbarismo ao meio ambiente é grotescamente caro.



O homem querendo ultrapassar, querendo derrotar a natureza sob forte pressão de uma corrida em busca da economia forte, duradoura e destruidora de país contra país, de nação contra nação. A um forte indicio que a manifestação destruidora da natureza tem como objetivo equilibrar o planeta visto que o ser humano pocria igual a ratos e consomem arrogantemente feitos feras, feras sem noção do tempo futuro e da aberração que é o seu próprio ser ignorante. A ilusão dos lideres mundiais em um crescimento sustentável, o chamado crescimento a favor da natureza o que não passa de contradição, analisando o processo de economia levantada e sancionada em cada país percebe-se que para vencer a briga de economia primeira do mundo, superpotência é preciso poluir, devastar, depredar é preciso derrubar o verde para sustentar uma economia, é preciso o constante desrespeito com os fatores do tempo para o empuxe do desenvolvimento. A china cresce em torno das indústrias de carvão e sua economia em um futuro bem próximo será a primeira, planará nas alturas, assim como a fumaça expulsas das chaminés de suas indústrias. Os Estados Unidos se mantem no topo por que faz o que é primordial para o sucesso de sua forte economia polui, depreda e desrespeita a nutereza. Quase todas as populações mundiais crêem no irreal, crêem em forças mistificadas e em insanidades que fogem ao padrão de uma loucura ultrapassada e por isso não enxergam que um ser todo poderoso, totalmente real e brutal quando um porco enlamaçado de imbecilidade toca-a, essa eu sei que existe, ela se manifesta em torno de mim, ela é tão poderosa ao ponto de derrubar vários em um único evento, em uma única aparição surpreendente, em varias formas com intensos padrões de força. Sob terremotos, enchentes, deslizamentos, trovões, raios a natureza diz: A força nasce de mim, eu sou a força, eu sou real, eu sou o poder e todos tremem, eu sou a luz e diante de mim não a nada tão intenso.

A natureza se manifesta da hipocrisia do ser humano, ela derruba por que precisa eliminar, ela mata por que precisa alertar o futuro chegando sob incansáveis aniquilamentos de inúteis incapazes de pensar logicamente, incapazes de mudar conceito, de levar a serio uma transformação. A natureza felizmente age eliminando tudo aquilo que é prejudicial a ela, o ser humano e todas suas formas de desenvolvimentos modernos e futuristas são prejudiciais a ela e talvez seja o fator chave, por isso o caos em varias dimensões do globo terrestre. Por isso a preocupação que já toma ares de seriedade, por isso uma parcela cai ali outras vão caindo la e mais adiante uma outra cai aqui e vão caindo, caindo até se darem conta da gravidade da situação em torno do fato vida presente e futura, até acordarem definitivamente e perceberem que não é um deus mesquinho, inventado, intangível, ilusório, utópico e colateral que salva e sim o verdadeiro poder natural que é totalmente perceptível, danoso e onipotente e se manifesta sem piedade dos seus agressores. Iniciaram a guerra contra a natureza agora agüentem sem falação, sem agitação, sem revolução, fique apenas com o choro única forma de expressão do terror. A natureza é, foi e sempre será a principal predadora do ser humano incoerente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário